Terceirizados da UFRJ receberão atrasados esta semana

Com o pagamento, acordado após audiência no MPT-RJ, Universidade conseguirá regularizar salários de todos os empregados que prestam serviço de copa, portaria e limpeza

Terceirizados que prestam serviços de copa e portaria para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) receberão, até o final desta semana, os salários atrasados desde o início do ano. A medida resulta de acordo firmado entre a empresa que contrata os funcionários - Projebel Serviços Comércio - a UFRJ e o Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ). A empresa se comprometeu a regularizar sua situação com o fisco e a realizar os pagamentos a cerca de 300 trabalhadores, incluindo salários de profissionais que atuam em dois hospitais universitários do Rio de Janeiro, além de verbas rescisórias de empregados cujo contrato já foi encerrado.

Imprimir

Operários do Comperj poderão sacar FGTS e dar entrada no seguro-desemprego

Baixa na carteira será feita nesta sexta-feira (20/3), como resultado de acordo firmado com o MPT-RJ e a Justiça Trabalhista

Cerca de 2.300 trabalhadores do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), contratados pela Alumini Engenharia e desde dezembro com salários atrasados, poderão dar baixa em suas carteiras de trabalho nesta sexta-feira (20/3), em mutirão organizado pela Justiça do Trabalho em Itaboraí (RJ). A força tarefa será realizada a partir das 8h. Com o procedimento, os operários poderão sacar os recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e dar entrada no seguro-desemprego.

Imprimir

Ação vai cobrar pagamento de R$ 11 milhões em verbas rescisórias a operários de Itaguaí

Trabalhadores, que atuavam em obra para a Petrobras, poderão sacar FGTS e dar entrada no seguro-desemprego a partir desta semana

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Construção, por sugestão do MPT-RJ, irá entrar com ação coletiva na Justiça para cobrar da Empresa Brasileira de Engenharia (EBE) o pagamento de verbas rescisórias a 1.077 operários que atuavam na construção de módulos da plataforma petroleira P26, integrante do Pré-Sal, cujo canteiro está localizado em Itaguaí (RJ). A empresa, que possui contratos com a japonesa Modec, em obras para a Petrobras, terá que demitir os trabalhadores e arcar com cerca de R$ 11 milhões em verbas rescisórias e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Imprimir

MPT-RJ propõe reajuste de 8% para funcionários da Comlurb

Se aceita pelos trabalhadores e pela empresa, a proposta poderá colocar fim à greve que já dura seis dias

O Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) propôs, em audiência de conciliação nesta quarta-feira (18/3), um reajuste linear de 8% para os funcionários da Comlurb, que estão em greve desde a última semana. A proposta inclui ainda o pagamento de horas extras aos chefes de coleta de lixo e líderes de turma, além de auxílio-funeral de no máximo R$ 800, até que a empresa firme novo convênio para garantir o benefício.

Imprimir

MPT-RJ propõe trégua na greve para reabrir negociação dos trabalhadores com a Comlurb

Proposta foi feita em reunião nesta segunda-feira (16/3), mas categoria decidiu manter a greve

O Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) propôs aos empregados da Comlurb uma trégua na greve realizada desde a última sexta-feira (13/3) para que seja reaberto o canal de negociação com a empresa. A proposta foi feita nesta segunda-feira (16/3) em reunião realizada na sede do MPT-RJ com o Sindicato dos Empregados das Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro e a comissão de greve. A proposta, no entanto, não foi aceita pelos trabalhadores, que decidiram, em assembleia realizada logo após a reunião, manter a paralisação.

Imprimir