• Informe-se
  • Notícias da PRT1
  • “O trabalho não pode ser considerado mercadoria ou artigo de comércio” destaca procurador-chefe do MPT-RJ

Caravana da Participação vai percorrer sul e sudeste do país em defesa da infância

Iniciativa do MPT aborda temas como participação social e política, trabalho infantil, igualdade de gêneros, abuso e exploração sexual

Tem início hoje, 3 de julho, mais uma etapa da Caravana da Participação, que irá percorrer os sete estados do sul e sudeste brasileiros em defesa da infância. Até o final do mês, a iniciativa deve mobilizar milhares de adolescentes. A programação inclui caminhadas, debates, oficinas, palestras, audiências públicas, entre outros atos, em parceria com o Ministério Público do Trabalho e outras instituições. O movimento, que teve início no Ceará, já percorreu o nordeste do país e esteve em Belém-PA.

Só em São Paulo, serão onze atividades entre os dias 11 e 14 de julho e a expectativa é reunir centenas de participantes. À frente da mobilização estão quatro integrantes do Comitê Nacional de Adolescentes e Jovens na Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (Conapeti): Felipe Caetano, do Ceará, Thiago Silva, de Santa Catarina, Lara Sardenberg, do Espírito Santo e Érick Oliveira, do Rio Grande do Sul.

Morador de Aquiraz, Região Metropolitana de Fortaleza, Felipe Caetano (16) destaca a importância da participação política e social como parte do processo democrático. “Entre os aspectos que o Estatuto da Criança e do Adolescente inclui, no direito à liberdade, está a participação na vida política”, cita. “Porém, 28 anos após a promulgação, ainda não vemos efetiva participação das crianças e adolescentes na elaboração e execução de políticas públicas direcionadas a eles e elas”, ressalta.

A capixaba Lara Sardenberg (18) alerta que muitos casos de trabalho infantil são encobertos no interior do estado, principalmente de exploração sexual, nas rodovias que levam à capital. Por isso, ela considera importante estimular a participação ativa das próprias crianças e adolescentes na conscientização contra o trabalho precoce. “A conversa de igual para igual tem uma voz que ecoa mais forte. Jovens, adolescentes e crianças vão conseguir entender que existem soluções para o seu futuro”, defende.

Na cidade catarinense de Chapecó, a iniciativa será direcionada a comunidades indígenas e adolescentes do sistema socioeducativo. Para o procurador do Ministério Público do Trabalho no Ceará, Antonio de Oliveira Lima, é preciso “assegurar espaços de participação política e social a todas as crianças e adolescentes, principalmente para aqueles que historicamente tiveram seus direitos negados, como as vítimas do trabalho infantil e os adolescentes em medidas socioeducativas”.

NA ESTRADA

A primeira etapa da Caravana da Participação percorreu o nordeste e Belém-PA, em janeiro deste ano. Foram promovidas conversas, debates, pesquisas e oficinas, com o envolvimento de mais de 2 mil crianças e adolescentes.

Para Felipe Caetano, o movimento “é a junção dos mais diversos processos de protagonismo de meninos e meninas. É a celebração da democracia”.

Confira o cronograma:

Espírito Santo – dias 03 e 04/07

Rio de Janeiro – de 05 a 07/07

Minas Gerais – 09 e 10/07

São Paulo – de 11 a 14/07

Paraná – dia 16/07

Santa Catarina – de 17 a 19/07

Rio Grande do Sul – de 20 a 24/07

Fonte: MPT-CE

Imprimir