• denuncias
  • peticionamento
  • mediacao
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Informe-se
  • Notícias
  • MPT-RJ realiza seminário sobre a proteção de direitos sociais nas relações trabalhistas
  • ESTÁGIO 2017
  • Pesquisa CNMP
  • MPT cadastra entidades para destinação de recursos
  • banner mudanca sede
  • MPT-RJ divulga resultado final do concurso para estágio de Direito
  • MPT lança campanha de combate à exploração do trabalho infantil e convoca sociedade para apoiar movimento
  • 18 de Maio - Dia Nacional de Combate à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
  • Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) aplica pesquisa para ouvir a sociedade sobre temas prioritários na atuação do Ministério Público
  • Documentário expõe alto índice de mortes no trabalho. Clique para assistir.
  • Procuradoria Regional do Trabalho da 1ª Região inicia mudança para nova sede.

HSBC é condenado por discriminação religiosa em ação civil pública ajuizada pelo MPT-RJ

O Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ) ajuizou a ação civil pública por dano moral coletivo contra o HSBC Bank Brasil, após caso de discriminação religiosa entre funcionárias do banco. O Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) condenou o HSBC a pagar R$ 100 mil de danos morais coletivos ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), bem como ao cumprimento de obrigações com o objetivo de inibir atitudes de discriminação religiosa no ambiente de trabalho.

Banco HSBC
Banco HSBC

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O caso ocorreu em 2010 quando uma funcionária foi alvo de acusações por conta de sua crença religiosa. Segundo o inquérito do MPT-RJ a bancária hostilizada, que era também dirigente sindical e havia retornado de uma licença médica, realizava uma atividade junto aos funcionários da agência, quando foi acusada por uma colega de espalhar “pó de macumba” sobre as mesas dos empregados. A funcionária foi chamada de “macumbeira, vagabunda e sem-vergonha”, sofreu tentativa de agressão física e foi ameaçada de agressão fora do local de trabalho. Posteriormente foi comprovado que o “pó branco” que havia nas mesas era oriundo da limpeza dos dutos de ar condicionado e já tinha sido visto em outras ocasiões.

O episódio foi presenciado pela supervisora das funcionárias, que se manteve omissa, e por outros colegas de trabalho. Após o acontecido a funcionária ofendida foi suspensa de suas atividades por 45 dias, ficando a disposição do sindicato, enquanto à empregada agressora nenhuma punição foi dada.

No inquérito civil o procurador do trabalho do MPT-RJ, Artur de Azambuja Rodrigues, propôs a celebração de um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) onde o banco se comprometesse a impedir a prática de discriminação religiosa na empresa, realizando campanhas e estabelecendo um canal de denúncias. O HSBC se negou a firmar o TAC, o que levou o MPT-RJ a ajuizar a ação civil pública visando os direitos da coletividade, já que qualquer trabalhador pode ser vítima de semelhante discriminação religiosa no âmbito da empregadora.

 

Assessoria de Comunicação • Ministério Público do Trabalho no Rio de Janeiro (MPT-RJ)
(21) 3212-2121 • (21) 9 9423-7936
prt01.ascom@mpt.mp.br
prt1.mpt.mp.br | Twitter: @MPTRJOficial | Facebook: MPTRJ.Oficial

Imprimir

  • banner pcdlegal
  • banner abnt
  • banner corrupcao
  • banner mptambiental
  • AUDIN
  • banner transparencia
  • banner radio
  • banner trabalholegal
  • Portal de Direitos Coletivos